quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Meus momentos mais constrangedores: O peixe-boi


Essa é uma injustiça que a História vai me fazer, provavelmente, até o fim da minha vida. Ao visitar Japaratinga, uma praia do estado de Alagoas, com uma ex-namorada, decidimos conferir as histórias de que havia um peixe-boi rondando aquelas águas. Sem pensar muito, fomos nadando em direção a um barco de pescador ancorado a uma boa distância da areia. Quase chegando lá e já achando que o tal bicho era algum tipo de lenda local, eis que surge uma sombra gigantesca embaixo das ondas. O troço era muito, muito grande mesmo, maior que o barco que, aliás, ainda não tínhamos alcançado. Você pode até pensar “E daí? É só um peixe-boi. Eles não fazem nada com ninguém”. Mas você estaria enganado. Peixes-boi, ao contrário do que o grande público possa pensar, são animais de inteligência perversa e astúcia sobrenatural.



 Embora uns sejam mais espertos do que outros.


Essas criaturas maleficamente matreiras se aproveitam de sua aparência enganosamente estúpida para atacar banhistas desavisados, envolvendo-os em brincadeiras perigosas e, frequentemente, mortais. Gostam de arrastar suas vítimas para as profundezas onde habitam, além de possuírem o estranho hábito de desatar lacinhos de biquíni, o que pode indicar um raciocínio quase humano (e masculino) por trás de seus atos aparentemente aleatórios de terrorismo aquático. 

Foi pensando nisso que resolvi, ao perceber a coisa se aproximando cada vez mais, me adiantar à minha ex-namorada e subir logo no barco, no claro intuito de ajuda-la a sair do alcance da fera submarina, içando-a para a segurança do bote. E daí se, em minha pressa, acabei nadando por cima dela, quase afogando-a no processo? O que importa se, movido por excesso de zelo, usei a cabeça dela como plataforma para alcançar o barco? Admito que demorei um pouco para puxá-la para cima devido as minhas mãos trêmulas, evidentemente uma consequência do esforço sobre-humano em superar a velocidade vertiginosa pela qual os peixes-boi são amplamente conhecidos. E se eu ignorei os berros desesperados dela por alguns minutos, foi apenas porque eu desejava ter certeza de que o barco era perfeitamente seguro e a prova de monstros marinhos.

Meu plano, obviamente, deu certo. Entediado, o animal endemoniado eventualmente se afastou, em busca de vítimas menos perspicazes e uma maior oferta de laços de biquíni. Contudo, por motivos que até hoje desafiam minha compreensão, a grande maioria das pessoas não consegue enxergar o que aconteceu através do meu ponto de vista. A família da minha ex-namorada cortou relações comigo e a própria, depois de anos de terapia, ainda se joga no chão em posição fetal toda vez que vê um peixe em um aquário ou um boi na estrada, provando que a mente humana ainda guarda muitos desafios para os psicólogos. E ainda tem gente que tem medo de tomar banho de mar na praia de Boa Viagem.

Elas não sabem de nada.

11 comentários:

  1. pois é... faltou falar do momento em que o peixe-boi deu o abraço mortal e a ex-namorada conseguiu - com inquestionável destreza - livrar-se das garras gordinhas do animal. Outra coisa - pra que o vídeo?? eu ia dormir bem hoje.

    ResponderExcluir
  2. e mais:
    tubarões são carnívoros - atacam para se alimentar.
    e os peixes-boi - que são herbívoros - atacam somente pelo prazer de matar.
    PS: NUNCA acredite no globo repórter!

    ResponderExcluir
  3. Uma amiga minha cuidava de um peixe-boi na Ilha de Itamaracá e ele era monitorado porque nadava pela costa nordestina e era muito dócil sendo alvo fácil para as pessoas perversas...enfim, talvez nem todos sejam assim.
    ;D
    ;*****

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    tu é muuuuito ridículo
    o pobrezinho do peixe-boi... inocente, querendo brincar...

    ResponderExcluir
  5. Também teve uma história de peixe-boi recentemente, lá na praia. Meu primo, bêbado, viu uma sombra no mar e saiu correndo pra contar pra todo mundo que tinha visto um peixe-boi. Quando o povo chega pra ver, era um bolo de sargaço.

    Álcool pode mesmo matar uma pessoa. De vergonha.

    ResponderExcluir
  6. Bolei de rir.kkkkkkkkk
    Eu já vi hômi mole mas desse jeito, é demais!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  7. Pobrezinho do peixe-boi. hahaha

    ResponderExcluir
  8. EVIL MANATI! Fred, faltou contar aquela história em que um cocô do mal quase te pega na praia de Catuama. Foi no mesmo final de semana no qual uma caravela das trevas colou nas tuas costas e você chorou como uma pequena garotinha meiga. Lembra?

    Eu lembro.

    Ass: Mauro, o galhofeiro

    ResponderExcluir
  9. Agora entendi porque ela é sua EX namorada kkkkkkk mulheres gostam de homens q a protejam, n aqueles que correm na primeira oportunidade haha

    ResponderExcluir
  10. Compreendo plenamente o seu ponto de vista eu no seu lugar teria feito exatamente o mesmo procurando proporcionar segurança para aqueles que eu amo.

    ResponderExcluir
  11. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKkk cara muito bom o blog manolo! conheci hje e pretendo visitar mais....vc foi realmente corajoso em deixar sua namorada em primeiro lugar

    ResponderExcluir

Vai, danado, reclama!