quarta-feira, 19 de outubro de 2011

As recifenses







As recifenses são as mulheres mais difíceis do mundo. E sabem disso. Por Deus, elas gostam disso. É uma fama construída e espontaneamente viralizada pelos traumatizados homens da capital pernambucana. Além, claro, dos pobres coitados que, turistando pelos lados de cá, acabam quebrando a cara e o espírito contra a impávida muralha de negativas da fêmea local. Exemplos dessas tristes derrocadas são frequentes e comuns. Quase sempre, trata-se de algum ingênuo segurando uma simpática, embora autodestrutiva, placa com os dizeres “Me beije, sou carioca”. E isso durante o carnaval, período de maior descontração, liberdades e libertinagens, festa da carne e tudo mais. O escárnio com o qual esta abordagem pouco criativa, porém honesta, é recebido pela recifense é de fazer o coração doer. O homem do Recife já não alimenta muitas esperanças de contato mais íntimo com o sexo oposto, observando com uma simpatia desapaixonada os esforços frustrados dos visitantes. Há quem diga que a crescente população homossexual da cidade tem raízes nessa questão, mas é exagero. Ainda existem aqueles guerreiros que, movidos por instinto ancestral ou puro desespero de causa, ainda vão à luta, dispostos a defender sua honra, masculinidade e, se possível, pegar em um peitinho. Esses semideuses caminham entre nós, cientes de que, se conseguem pegar uma mulher do Recife, são capazes de, facilmente, pegar a mulher do sultão, de burca, na praça em frente à mesquita. Sem falar árabe. E depois ainda pegam a mãe dele, por puro tédio.

O grande sociólogo pernambucano Gilberto Freyre tentava explicar o recato quase patológico da recifense através da herança cultural lusitana. Os portugueses, tão ciumentos quando melancólicos, costumavam esconder dentro de casa sua esposa, filhas e qualquer coisa remotamente do sexo feminino, sempre prontos a defender o bom nome da família. Henry Koster, britânico criado em Lisboa, ao passar algum tempo no Nordeste do Brasil, lá pelo século XIX, se decepcionava ao tentar obter um vislumbre sequer da mulher recifense, dentro de casa uma entidade invisível, saindo à rua sempre coberta por um longo véu a protegê-la de olhares cobiçosos, reais ou imaginários. Ao mesmo tempo, costumava flagrar, em uma mistura de espanto e deleite, as filhas de algum grande senhor de engenho, veraneando na capital pernambucana, a tomar despreocupados e desinibidos banhos no rio Capibaribe, a pele branca contrastando com os cabelos negros, a água turva de mangue mal escondendo os corpos nus. A recifense é, portanto, uma provocadora por herança, genética e criação. Seu prazer é o flerte, aproveita a viagem muito mais do que o destino, onde muitas vezes nem se chega. Munida de um escudo de recato, ocasionalmente deixa entrever a carne proibida cuja armadura esconde. E os homens, coitados, perdem a batalha antes mesmo de a guerra começar. O que não os impede de seguir lutando.

Nos próximos posts, vamos analisar o comportamento da mulher do Recife, verificando seus hábitos e defesas naturais, em uma tentativa de fazer com que os homens, caso não consigam se dar bem, ao menos tenham capacidade de salvaguardar alguma medida de hombridade enquanto são miseravelmente escorraçados por estas sereias de rio, verdadeiro terror dos navegantes experientes e marinheiros de primeira viagem.


PS – O Blog da Reclamação não se responsabiliza por corações partidos, espíritos despedaçados e autoestimas destruídas. Na dúvida, siga o exemplo dos homens locais: procure o boteco mais próximo, peça pelo brega mais bisonho que você encontrar na radiola de ficha e fique só em sua mesa até que a auto piedade transforme você em uma casca vazia desprovida de alma. Ou então mude de cidade, o que for mais barato.



73 comentários:

  1. Bem, concordo até certa parte.
    No fundo nenhuma Recifence é tão recatada. Como já conversamos, isso tudo é tipo, frescura, pantim, falta de pisa.
    Na verdade estão doidas para sairem por ai se jogando no prazer da carne (não quero ser grossa), mas não podem jogar pelo ralo a imagem de moça de familia...tsic tsic tsic. Na moral, besta são vcs homens que acreditam.
    Acho que vou fazer uma parceria ctg aqui no blog...preciso fazer uma cartilha para o heterosexuais que sobraram!!!!É tudo fácil pq a vontade existe, só precisa saber chegar, falar e fazer ;) Ficaadhica!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Sao mais complicada, sim. Comparando com as do interior. Mas nada de impossivel. Ouro exagero este texto. Gostei do ''falta de pisa''. Kkkk

      Excluir
    2. Concordo em Gênero numero e grau com o artigo,acrescento ainda que em Recife é o unico lugar do Brasil que já se encontra uma categoria á parte de mulheres qual seja: Independentes,alguns belas,(Em sua maioria),de alto grau de escolaridade,mais encalhadas por opção ou melhor por puro atavismo cultural.

      Excluir
    3. Não tem opção de curtir?!

      Excluir
    4. kkkkkk...boa..boa!
      (pode deixar seu email e telefone pra contato??) rsrsrsrsrs....

      Excluir
  2. "C'mon c'mon and get together"

    tipo isso.

    ResponderExcluir
  3. ..e o prêmio de melhor comentário vai para Gabi, com a frase "é falta de pisa"!

    \o/

    ResponderExcluir
  4. obrigada, obrigada o/

    ResponderExcluir
  5. são as mais difíceis, hell yeah!

    ResponderExcluir
  6. meniiiiiiiiino, que exagero!! Quem magoou seu coração?!
    é só um pouquinho assim, não é tanto não. as mulheres recifenses são fáceis pra se chegar, mas difíceis de serem convencidas. taí o encanto todo.. aos meus olhos de julgadora da vida, né?

    ResponderExcluir
  7. A grande parte das recifenses (não me incluo nessa) acha que precisa fazer joguinho porque acha que os caras gostam de mulheres difíceis. E de fato, já escutei muito homem recifense falando isso, num machismo "cabra-da-peste" que me deu nojo. E, claro, existe a parte das mulheres que não estão nem aí.

    Pessoalmente, acho que existe uma outra parte que apenas não quer beijar qualquer um, porque não vê graça nisso (me incluo nessa).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marina na boa vc até que é engraçada ou seja caso tivesse solteiro e a visse na balada acho que poderia te chamar pra dançar agora na real você certamente é daquelas tipicas Recifenses que só sabem dar fora e mau olhar na cara do sujeito.

      Excluir
  8. Ultimamente só tenho dado sorte com gente de fora do Estado (pro meu desespero, porque nem é sempre que se pega uma promoção do feirão da Gol), e quando as meninas de fora perguntam porque estou solteiro eu digo: 'você não sabe o comportamento de uma recifense, o muro de Berlim caiu porque não foi uma mulher daqui que construiu'...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mais dura e exata verdade

      Excluir
  9. Eu, que estou em Brasília, posso confirmar a existência de uma resistência maior da mulher recifense. Parece-me, no entanto, que a culpa não é bem delas, ou seja, o comportamento delas não é causa, é consequência da visão de "mulher decente" existente na nossa sociedade pernambucana e, especialmente, entre nós, homens. É um pouco com o que Marina falou. Portanto, Fredão, somos vítimas do nosso próprio machismo. Parabéns, de novo, pela idéia do blog!

    ResponderExcluir
  10. Pois é. Acho que todos concordam que a recifense é assim mesmo, não há muito como negar. Mas Vitinho levantou uma questão importante: os homens machistas e safados daqui deixaram as mulheres traumatizadas ao ponto de que elas tem que erguer esse muro em volta delas ou o muro já existia e os caras tiveram que aprender a ser insistentes ao ponto da inconveniência, em uma tentativa desesperada de contato feminino?

    Eis a grande questão.

    ResponderExcluir
  11. véi, Vitor falouhttp://oblogdareclamacao.blogspot.com/2011/10/as-recifenses.html#comment-form e disse... exatamente o que eu já havia comentado em uma foto polêmica no facebook de Fredinho.
    O cara diz que adoro mulher de atitude, mas convenhamos que atitude pra ele só vale depois que ele "conquistar", ou seja, quando tiver na cama. Neguinho se pela quando a mulher chega chegando, caga fino mermo!
    Eu, como não cudozista tenho propriedade pra falar. Hoje eu nem chego chegando nem faço cu doce, na verdade com a quantidade de viado na cidade tá sendo melhor se contentar com umas amizades coloridas e tals.
    So tenho que me ligar pra num incorrer no incesto, né Fredinho? kkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  12. Desde que voltei para Gravatá, que muita coisa mudou, as mulheres Recifenses não eram assim. Já as daqui estão jogadas além da conta. Estão precisando de uma boa "pisa" como disse a Gabi Correia, para se aquietarem!

    ResponderExcluir
  13. A verdade já era sabida, só faltava um ótimo texto.

    ResponderExcluir
  14. A Gabi tá certa e errada.
    Ela tá certa por chamar de falta de pisa e está errada em achar que bancar a difícil com essa filha da putagem signifique ser recatada.

    Davi Braid

    ResponderExcluir
  15. Só sei que concordo com a Gabi Correia. ;)

    ResponderExcluir
  16. Numa terra de cabra macho, coronel, cangaceiro e machismo, a mulher usa de seu poder feminino de seducao pra subjulgar o poder masculino, exarcerbado na nossa cultura, da forca. Homens podem ser o que quiserem, diz a tal tradicao masculina, todos cumprem seus papeis perante a familia; mas convenhamos, quando se escuta a fofoca de certos grupos de amigos, se descobre logo que esse pudor todo é so fachada. Em todo homem existe o potencial galinha quanto o romântico apaixonado e na mulher também. Triste culltura essa que ainda insiste no feudalismo lusitano.

    ResponderExcluir
  17. É tudo queijuda mesmo.

    Falo isso com sinceridade, a mulher daqui é FRESCA, fica querendo ser a mulher mais gostosa do mundo e acaba sendo a pior.

    Se deixassem de fazer tanto doce, talvez se lascariam menos nos relacionamentos.

    ResponderExcluir
  18. Eu num acho que mulher recifense tá difícil não. Isso foi numa outra era...Hoje com a quantidade de gays nessa cidade, mulher anda facinho facinho...acho que por isso muitas preferem não sair beijando qualquer um que converse com ela por 10min e estão no direito delas. Homem aqui também é muito acomodado. Acha que o negócio é chegar, falar 10min, perguntar o nome, dizer que é gata, agarrar e dar tchau. OK, não vejo problema se a mulher tá a fim disso, mas tem mulher que não tá, não acho que por isso tá fazendo cú doce...cada um no seu direito...

    ResponderExcluir
  19. É uma pena que não temos mais mulheres de fora nos comentários dando a real de suas respectivas cidades, a fim de obtermos um comparativo.

    ResponderExcluir
  20. Alisson da Hora... PERFEITO COMENTÁRIO, minha situação é semelhante. Mulheres Cariocas Über Alles.

    ResponderExcluir
  21. caro frederico, acompanhei de perto essa situação deveras complicada por qual o homem recifense passa e calho por concordar. segundo dizem as más (e as boas) línguas, a mulher recifense é a que faz o maior cu doce de todo o mundo. inclusive, quando abordada em festinhas pelos homens daí, recebia a pergunta recorrente "você é de fora, né? tão simpática...". não, claro que a mulher recifense não seja simpática. apenas não é da vontade dela dar trela para qualquer um. o que nesse caso, infelizmente, engloba todos os homens recifenses na classe de "qualquer um". mas, vejamos bem... os vencedores que conseguirem quebrar essa casca de altivez e recato exacerbados, com certeza conseguirão encontrar as melhores mulheres do mundo (em linha reta). abs.

    ResponderExcluir
  22. Sugestão para o teu próximo post: "odeio generalizações".Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  23. Sei não, viu? Eu sei que tem gente em Recife que consegue se relacionar com mais de uma mulher ao mesmo tempo. Tem nêgo reclamando de barriga cheia.
    Em tempo: estou bem feliz, há quase 10 anos, com uma recifense que teve atitude e iniciativa para engatarmos um relacionamento.

    Ass: Mauro, o galhofeiro apaixonado.

    ResponderExcluir
  24. Tava comentando isso outro dia, o treinamento de Recife é o verdadeiro BOPE!
    Tive no Rio recentemente, e mesmo as mulheres que acabam lhe dando o "veta", o fazem com simpatia (até onde é possível) enquanto que tem muita mulher aqui em Recife que se recusa até a falar com a pessoa.

    Concordo com o que você disse, e mesmo odiando generalização, boa parte da ala feminina de Recife se enquadra nesse perfil!

    ResponderExcluir
  25. hora do meu comentário.

    xeu ver se eu vou fazer cu doce ou vou ter paciência e dedicação para desenvolver meu raciocínio...

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    A primeira pergunta que eu acho que qualquer mulher recifense (ou não) se faz quando conhece um cara é: "Por que eu daria pra ele?".

    E aí começa uma grande saga de testes, mas para mim a resposta é sempre muito simples: o cara "perfeito" não preencheu os pré-requisitos.

    A conversa é boa, mas o beijo uma merda, a companhia é ótima, mas não rola química, o cara é gato, mas se veste mal pra caralho e parece um micróbio mangue-beat, o cara é gente boa, mas é machista, é super carismático, mas é um escroto ou é perfeito, gostoso e beija bem, mas quer sambar na cara da mulher...enfim...qualquer pernambucana pode arrumar qualquer motivo para não perder seu tempo com determinados sujeitos e os homens recifenses nem são essas merdas todas viu, então eu presumo que o cu docismo seja proporcional à qualidade dos homens em questão.

    (vai na Itália ou na Espanha pra tu ver se tem mulher fazendo cu doce!)

    Dar por dar, só por que tá afim é a coisa mais fácil do mundo. Qualquer uma pode dar pra quem quiser. Mas acho que a recifense se questiona mais se vai valer a pena ou não. E como diria minha mãe: "Se é pra dar de graça, dê a quem você gosta de verdade, pq se não, até uma puta sabe se valorizar melhor do que você."


    E se isso é cu docismo, eu encaro como cautela, reserva e precaução. (claro que há casos de cu docismo crônico, mas isso depende muito do approach CAGADO masculino. mulher que fica doida de verdade pelo cara, dá.)

    No mais, para concluir esta linha de raciocínio, vou parafrasear uma amiga que disse uma das frases mais incríveis e certeiras de sempre:

    "Não existe mulher difícil. Existe homem insuficiente."

    ResponderExcluir
  26. Mas a questão nem dar! Era só ficar mesmo, permitir uma aproximação. E tem mulher que nem isso.

    ResponderExcluir
  27. é. pq ela não tá afim. simples. não precisa de explicação. não estar a fim é a melhor justificativa.

    pq os homens se questionam tanto sobre isso? será que eles sempre se acham tão bons a ponto de ser incompreensível uma mulher não estar a fim?

    god. :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não mesmo. A questão não é mulher. Mas mulher recifense. Provinciana, metida a difícil.

      Excluir
    2. Carol de onde vc é? De recife? tem ascendência Recifense? acorda !!! Os foras usuais dado pelas recifenses ta influenciando até na economia pasmem! Já que os turistas estão preferindo conhecer cidades em que as mulheres não dão fora na hora da dança,o negócio é tão sério que tem vereador propondo projeto de lei que veda os foras nos forrós da vida com multa pelo descumprimento é mole? ou quer mais puts.

      Excluir
    3. Essa mulher é uma idiota. Mais uma ofendida pq tem o rabo preso.

      Excluir
  28. a pergunta é: que geração da mulher recifense é difícil desse jeito...
    O que está por vir, rapazes, cês não vão dar conta não. Eu tô vendo o vento virar, mas acho que só os filhos ou pelo menos sobrinhos de vcs vão ser beneficiados.

    ResponderExcluir
  29. Carol Burgo, fiquei sua fã e da sua mãe tb! hehehehe

    ResponderExcluir
  30. alguém não gostou do que leu...! =P

    ResponderExcluir
  31. Vou reduzir, imprimir e andar com isso na carteira pra mostrar para os colegas de outros estados.
    Por isso que nas festas pelo nordeste a fora tem tanto homem de recife, eu nao sei oq é namorar com uma recifense faz tempo. Já namorei, gaucha, alagoana, paraibana e cearense,agora recifense nunca!!Homem de Recife é tipo exportação, as vizinhas agradecem.....

    ResponderExcluir
  32. Rapaz... tenho namorado hoje em dia... mas sou facim facim de dar sorrisos às besteiras que homens já falaram por aí. Até a (merda, mas engraçada) cantada que recebi do meu atual namorado quando ele se chegou em mim. E pasmem, numa festinha altamente recifense no Eufrásio Barbosa. Porém, minhas amigas solteiras que vivem dizendo e eu só comprovando... Homem que preste tá difícil!! Ow é caba-safado, ou é tabacudo, ou não quer nada com a vida ou tem namorada ou é viado!... aos que não se encaixam nisso, façam um grupo no facebook que com certeza vai encher de mulher recifense correndo atrás de algum hetero que tenha sobrado! :P

    ResponderExcluir
  33. Acho que o difícil é escapar das abrangentes, porém altamente subjetivas, categorias de "tabacudo" e "caba safado".

    ;)

    ResponderExcluir
  34. A Carol ja ta pensando na cama. O centro da discussao acho q é outro. Td bem ninguém é obrigado a ficar com quem nao queira,obvio, mas é em ser cú doce ou mal educada. A pessoa chega na festa ta rolando o maior forró ai chama pra dançar, chega na moral, sem fazer qualquer coisa q possa queimar, ai ela fala q ta cansada com uma cara que ta puta da vida, ai o cara sem entender como uma pessoa q acaba de chegar num forró ja ta cansada e com aquele mau humor fica do lado observando e ver outros caras que podem ser considerados pegadores(presença)tb acontece a mesma coisa. A questão nao é sair dando pra todo cara q chama pra dançar e so se divertir ali, dançar e dar boas risadas e se rolar rolou...
    Oq o colega disse acima é pura verdade, as mulheres no Rio ou Fortaleza, quando nao querem nada, conversam na boa todos os amigos conhecem as amigas rola um papo legal pegamos informaçoes da cidade ou qualquer outra bobagem, o fato de nao ficar td bem, nao é "cudocismo"(ehehehehehe, inventei um termo)mas ser mal educada e outra...As mulheres passam do cudocismo, nao mal educadas e ignorantes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz o negócio ta tão sério que tem até vereador propondo lei que impeça o famoso fora de dança(com multa pelo descumprimento) que é usual nos forrós da vida dado pelas Recifenses kkk.

      Excluir
  35. morei a vida toda em recife,ha dois anos passei em um concurso e vim morar no sul e sudeste do Brasil, posso atestar por experiência vivida,meninas muito mais bonitas daqui não fazem tanto cú doce como as dai,as recifenses se acham demais,as vezes é só um papo,uma dança,mas basta desmostrar interesse pra elas esnobarem necessidade de inflar o ego,sabe?!se sentirem gostosas,perdem a oportunidade de conhecer pessoas que valem a pena por puro narcisismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DISCORDO, TUDO AQUILO QUE JA PARECE CONQUISTADO É MENOS ATRAENTE..POR ISSO MUITOS CARAS DEPOIS QUE CONQUISTAM AS MINAS NEM LIGAM NO OUTRO DIA..AO MESMO TEMPO ISSO SE TORNA UM CIRCULO VICIOSO POIS HAVERÁ SIMULAÇÃO DE NÃO-INTERESSE PARA NÃO PARECER FACIL E NISSO SE CRIARÁ UMA MURALHA DE AMBOS OS LADOS, ATE QUE PONTO SE DEVE SE MOSTRAR DISPONIVEL OU NÃO É UM DOS PONTOS CHAVES

      Excluir
  36. Eu tenho 37 anos e a minha opinião sobre esse assunto não mudou nunca, acho que as mulheres querem um otário pra sustentar elas ou para constituir família o quanto antes mesmo sem ter dinheiro pra isso, cumprindo obrigações sociais. Além disso, acrescento o quanto o capital determina essa questão, um cara RICO que ler esse tópico aqui RI e ri muito mesmo, durante horas...(se for uma alma boa, fica com pena de ambos, tanto dos caras que perdem tempo porque sabem o que elas fazem com um cara rico; como das meninas que tentam disfarçar a realidade do capitalismo aonde elas são quase todas prostitutas)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo. A verdade que até os homens têm medo de falar.

      Excluir
  37. A gente tem é que rir disso tudo mesmo, porque a real é que eu sinto pena de uma mulher se reprimir tanto toda vez que nega um beijo ou até mesmo uma dança! Queria tanto que elas fossem mais livres!
    É por isso que eu abro logo um sorriso toda vez que uma mulher me diz um "não", porque dá uma peninha... tem mulher fica olhando o cara durante meia hora pra esperar o cara chegar e sentir o prazer de negar um contato, que nem precisa ser contato físico.
    Uma vez fiquei rindo de uma mulher que me disse um "não" e ela mudou de opinião.
    Torço por mulheres mais livres e por homens que respeitem a liberdade delas, não as taxando nem de putas nem de santas.

    ResponderExcluir
  38. A dica é chegar como quem não quer nada

    ResponderExcluir
  39. Acabei de chegar nesse post por um 'olha, sua teoria estava certíssima!'

    Nem preciso falar mais nada. Vida de guerreiro é tenso, toda festa é uma espada e um escudo na mão, pronto pra vários não que servem de resposta de um simples 'Oi'.

    ResponderExcluir
  40. As que agem dessa forma, são umas machistas, interesseiras, atrasadas, ignorantes, etc. Nem elas sabem a fundo pq agem dessa maneira.

    "Estamos vivendo um período de profundas mudanças na forma de pensar e viver. Acredito que as pessoas devem ser o mais espontâneas que conseguirem.

    E quanto mais elas se libertarem dos valores patriarcais, ou seja, machistas, mais livres e prazerosos vão ser os encontros entre os sexos, inclusive na cama. Estaremos então caminhando para uma sociedade de parceria entre homens e mulheres, com benefícios para todos."

    Trecho de O Livro do Amor, de Regina Navarro Lins
    Lançamento: agosto de 2012

    ResponderExcluir
  41. É só botar na roda uma garrafinha de José Cuervo! tudo fica facim facim.

    ResponderExcluir
  42. Isso é uma questão de educação também. não só no flerte como na vida social, as mulheres do recife são mal educadas e grossas, e muitas vezes feias.Digo isso por não ser recifense e morar aqui a 7 anos e ainda não me acostumar nunca. E não há comparação alguma com as mulheres do sul, que deixam no chinelo as de recife, em educação e simpatia. Mas isso é culpa do homem, do seu machismo de merda. Se a mulher for simpatica fica com fama de puta. E a mulher prefere cabra safado, ou pelo menos com cara de safado, com cara de homem viril, barudo, macho. Já levei fora de gurias por ter cara de novinho, ou ser gentil, bonzinho de mais. Em resumo, temos uma sociedade complicada demais. Mas eu gosto daqui, o pior é isso :)

    ResponderExcluir
  43. carol burgo e demais seguidoras,

    (estou meio atrasado nos comentários e tal... li o blog ontem (mais de um ano de atraso) e a aba ainda estava aberta aqui e infelizmente resolvi ler os "polêmicos" pfff! comentários!)

    este pode ser até o seu caso relatado e tem muita mulher ai que no lugar do doce, tem muito fogo no rabo (com todo respeito!) e faz questão de esquentar ele ainda mais, não sei se este é o seu caso também mas...
    ...tu nunca esteve do lado de cá pra saber que a questão não é só NÃO QUERER / NÃO ESTÁ A FIM / NÃO FAZER O TIPO e mimimi... como vocês mesmo dizem, o buraco é mais embaixo!

    acho que outros "don juans" ou "apavoradores de plantão" sabem muito bem que "esta espécie" (que brota na nossa cidade), por mais que esteja a fim, não cede!!!!!!!!!!!!!!
    eu disse que POR MAIS QUE ELA QUEIRA, ela NÃO CEDE nem que seja um beijo ou até mesmo ir pra cama com o cidadão tão bem intencionado!!! (deixemos o machismo de lado, por favor!!!!!! )

    isto está no sangue das recifenses!!!! algumas misturam álcool no sangue e conseguem abstrair mas a grande maioria é NÃO PERDER TEMPO mesmo e partir pro próximo "não" ou não! :P

    o pior das cús DOCES de plantão são as caras de AZEDO que elas tem e fazem constantemente somente por estar sendo cortejada!!! (sei que nem todo mundo sabe "chegar chegando" mas isto é uma outra história e mais uma tese a ser discutida) e pior ainda do que esta cara de azedo que elas tem e fazem questão de mostrar, são as amigas cú doces que por mais que a doida esteja ali curtindo a balela do cidadão, ficam fazendo "negação com a cabeça", "puxam a doida" ou esfregam o cú doce na parede até que a amiga sair de perto do cara.

    outra coisa, a educação passa longe entre as cú doces!!!! este é a principal reação desta espécie!!!! por melhor que seja a ação do rapaz bem intencionado, o doce que ela traz no cú, amarga a alma e azeda a cara!!!!

    já viajei muito e por mais que uma doida que não seja de recife NÃO QUEIRA, elas conseguem dizer com UM LINDO SORRISO NO ROSTO que não estão a fim e priu(claro que tem exceções, da mesma forma que tem exceções aqui em recife que não se enquadram nesta espécie açucarada! )

    e pra fechar... que eu não costumo perder tanto tempo com esta espécie... as cúzões doces não precisam ser bonitas (por dentro e por fora) para ter um ataque de caretas em sua face(rosto), as vezes, as mais feias (por dentro e por fora) são as piores, isto pq já deve ter um histórico de algum zé ruela que provou ERRADAMENTE pra ela que ela era algo mais do que poderia ser, leia-se: NADA!!!

    acho que é isso e quem não gostou, é cú doce, digo logo! ráh!
    zgr

    obs: falta de pi"s"a, Com Certeza!
    obs: esta Déa e Evinha que falaram acima sabem o que dizem, esta remessa nova que está chegando está vindo sem problema de fabricação, sem falar que e a quantidade crescente de gays na cidade estão deixando as açucaradas com o "doce" na mão, pra não dizer outra coisa! :)

    ResponderExcluir
  44. As mulheres de Recife(grande parte) são chatas, não têm educação e na maioria das vezes as feias são as piores!
    Não é questão de querer ou não querer... É questão de educação, gentileza e simpatia!
    Sou Natalense e as minhas conterrâneas são bem diferentes! É claro que existem as exceções...
    Mas é verdade também que os homens de Recife não merecem nota 10 não, muitos são esnobes tbm... Sem falar do machismo e dos que não querem nada com a vida!
    Agora esse papo que é "falta de pisa" tbm é machista, se liguem!
    Enfim... O clima das festas e bares nos outros estados é beeeeem melhor!

    ResponderExcluir
  45. As mulheres de Recife são umas das mais feias do Brasil, mas, ironicamente, são as únicas que não vêem isso! ;)

    ResponderExcluir
  46. As estatísticas mostram que tem mais mulheres do que homens, mas porque existe esse paradoxo das mulheres afirmarem que homens estão em falta por aqui?!
    A resposta é simples, o chamado "cu doce coletivo". As mulheres daqui são muito metidas, já conheci pessoas de outros Estados que falaram a mesma coisa, em resumo, nota-se a predominância exaustiva de mulheres metidas aqui, são as mais difíceis do Brasil, sem dúvidas e sem medo de errar! Você chega por exemplo ali no Recife Antigo em dias e horários comerciais e o que ver é um bando de administrativas (financeiro, contas a pagar, a receber, faturistas, recepcionistas, vendedoras, RHs, etc) que na maioria das vezes não ganham mais do que um salário mínimo, mas ficam se esnobando porque tem um crachá de alguma empresa e estão em cima de um salto alto!
    A maioria delas são lambesacos de chefes e serpentes traçoeiras dos "dos(as) colegas de trabalho". Outra coisa das mulheres cu doces de Recife é que são muito interesseiras, não podem sentir um cheiro de gasolina Podium ou Premium ou mesmo escutar barulho de moto importada roncando o motor que todas começam a se "mijar", é incrível! Além também de serem muito mal educadas!
    O que me intriga, é o porquê dessas mulheres daqui de Recife terem esse comportamento de puritana? Muitas delas nasceram em lares pobres, comendo pão com ovo e sardinha, praticamente vieram do lixo e querem ser tão importantes assim?!
    Só dão atenção a quem tem carro de luxo ou quem tem uma posição importante em alguma empresa, não dar para entender isso! Lugares como por exemplo Curitiba, Santa Catarina e Minas Gerais, vocês vêem verdadeiras top models desfilando nas ruas, mas não vêem esse tipo de comportamento, são pessoas super legais, atenciosas, simples, educadas. Se amostram, claro, situação super normal, mas não ficam com o nariz arribitado como as daqui.
    Vale salientar também que os homens tem uma parcela de culpa em tudo isso que vem acontecendo aqui em Recife, o fato é que não pode passar uma mulher que o cara olha, fica falando, admirando como se fosse uma deusa e o pior, na maioria das vezes são mulheres feias ai já sabe né?!
    Enfim, espero que venham dias melhores e nós homens vamos adotar uma cultura de menosprezar, não se abestalhar muito por essas serpentes, ter mais cautela, ficar babando vai ser pior, só tende a piorar!

    ResponderExcluir
  47. as mulheres de recife em sua grande maioria, só gostam de caras que tem um poder aquisitivo alto , anda em carros de luxou, bom emprego etc... pior que muitas vezes essas mesmo não tem onde cair morta( lisa toda)NA GRANDE VERDADE SÃO MULHERES INTERESSEIRAS, pois já viajei para vários lugares no brasil, como: goias, natal, fortaleza, brasilia e as mulheres são muito mais simpáticas e desenroladas!!!

    ResponderExcluir
  48. em recife é muito baiacu se achando sereia!

    ResponderExcluir
  49. Só acho que não precisa ser antipática pra dizer um não. Geralmente, não fico com alguém em uma balada, mas claro que às vezes acontece... mas já pensou se eu beijasse todos os homens que pedem pra ficar em todas as festas? Tem mulher que gosta... tem homem que gosta... e tem mulher e HOMEM tbm que não vai querer ficar com qualquer pessoa. E tenho certeza que isso não é algo apenas das recifenses! Mas eu não sou o tipo dw mulher que simplesmente vira a cara... o problema das recifenses é esse?? Pq se eu não a fim mesmo nem de conhecer a pessoa, eu dou um sorriso e digo que não... mas não trato mal! Mas se me interesso, converso, danço e até troco telefone... mas nem sempre beijo na boca ali, no mesmo dia! E aqui muitas mulheres são assim... Ah, sou maranhense.

    ResponderExcluir
  50. Postagem muito antiga mas eu não poderia deixar de comentar. Eu não sei como as mulheres de Recife reagem a uma cantada ou algo do tipo. Eu também não sou de Recife.
    Eu cheguei a esse site devido a uma pesquisa que fiz para saber se só eu percebi a falta de educação do povo de Recife ou se mais gente percebeu.
    Desde que me entendo por gente sou louca por Recife e sempre quis morar aí. Há algumas semanas atrás eu fui conhecer pela primeira vez o lugar que eu sempre fui apaixonada por fotos e vídeos. Me deparei com um lugar mais lindo ainda ao vivo, mas em contrapartida me deparei com uma população mais mal educada e grossa que eu já vi nos meus 30 anos de vida.

    Sei que não devemos generalizar, mas esse 1 mês que eu estive em Recife, todas as pessoas que interagi foram grosseiras. Só eram simpáticas quando iriam ganhar algo em troca, como dinheiro.

    As únicas pessoas simpáticas que conheci eram turistas. E mais de uma vez algum turista me fez a seguinte pergunta: "Você teve a impressão de estar sendo mal tratada? Porque eu estou tendo..."

    Creio que esse comportamento que vocês estão falando das mulheres de Recife talvez não seja só da mulheres. Acho que é um comportamento geral de grande parte da população.

    Não entendam mal. Recife ainda é meu sonho, mas fiquei muito decepcionada com tantas grosserias.

    Quando certos comportamentos começam a atingir negativamente a população é hora de rever conceitos. Ao meu ver homens e mulheres aí tem muito o que mudar.

    Lívia

    ResponderExcluir
  51. Tudo verdade.... Pelo menos a Pernambucana que conheço é arretada...desse jeitinho aí mesmo... E olha que sou carioca......

    ResponderExcluir
  52. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  53. Um texto antigo na sua data de postagem, porém muito atual no que diz respeito à realidade dos fatos. Concordo com 99% do que foi exposto nesse blog, 1% de exagero para causar polêmicas, rsrsrs. Sou pernambucano e tenho 44 anos bem vividos, tive oportunidade de conhecer pelo menos 20 cidades em diversos estados e a conclusão que chego é que realmente a maioria das mulheres do Recife são mal educadas e isso passa a impressão de mulher difícil. Quando viajo para o interior do estado, principalmente em períodos de festas tenho mais certeza ainda, lá as mulheres são mais acessíveis, não estou me referindo a beijar na boca ou levar pra cama, falo em dialogar, dançar, fazer amizade. Na capital, se tiver um show de forró ou qualquer outro gênero dançante é necessário chamar no mínimo 20 mulheres para conseguir dançar no máximo com cinco, elas não dizem apenas “não, to cansada” elas dizem não olhando com carinha de nojo, de quem não está com o mínimo de paciência em responder, elas dizem “não” se achando as mais lindas e desejadas do mundo, elas dizem “não” com olhar esnobe. Se o show tá lotado e você vai se deslocar para outro local, tem que ter o maior cuidado ao pedir com licença para não tocar nelas, pois elas são capazes de se evadirem do local evitando qualquer contato físico. Mas o interessante nisso é que as moças doces (azedas) quando vão passando dos 40 anos começam a ter mais humildade e aos poucos vão aprendendo o que é ser bem educada, acredito eu que seja por medo de ficarem encalhadas pro resto da vida, daí se desesperam e agarram qualquer um que passa pela frente, mas também tem aquelas que se mantém firmes e optam em passar o resto da vida (felizes ou não) sozinhas.

    ResponderExcluir
  54. Sou Recifense, morei 10 anos fora do Brasil e quando voltei pude ver com olhar de fora o quanto o povo pernambucano é grosseiro. No início tentava justificar que era devido do estado pertencer à região nordeste, mas fui em outros estados da mesma região e as pessoas são mais educadas. Meu marido,que é paulistano e veio morar aqui comigo, simplesmente não se acostuma com as grosserias de atendentes, médicos, porteiros, vizinhos, padres e sobretudo, das mulheres, que segundo ele são as mais feias do Brasil e as mais arrogantes. Nem sei como ele se casou comigo hahahah, mas casou. Infelizmente eu estou de acordo com todas as críticas. Pernambuco precisa melhorar no aspecto da sociabilização.

    ResponderExcluir
  55. Quem tá falando das mulheres de Recife é porque não sabe o inferno que é o Rio de Janeiro!!!! Pense numa mulherada arrogante e folgada pra kct! Me dou melhor com as de Recife.

    ResponderExcluir

Vai, danado, reclama!